Maio / Junho 2007

R. S. Clube Ginástico Português     

 

Palavra do Presidente

   

A PALAVRA DO PRESIDENTE

 

Descobrimento – “A CERTIDÃO DE NASCIMENTO DO BRASIL”

 

Muito nos entristeceu a ausência da mídia no destaque do dia 22 de abril, data tão significante na história do Brasil-Portugal. Pouco se falou e ou se escreveu nos principais veículos de comunicação sobre os 507 anos do Descobrimento das Terras de Santa Cruz.

Também notamos que cada ano que passa, diminuem as comemorações da data, talvez por não haver prosperado a idéia de agrupar em um único evento entre as instituições Luso-Brasileiras, as homenagens à data do Descobrimento do Brasil.

Para não dizer que “passou em branco” a lembrança do 22 de abril, louve-se a iniciativa dos organizadores de dois eventos comemorativos à data: um deles foi a apresentação em novo estilo do espetáculo “Navegar é Preciso”, produzido e encenado pelo talentoso ator Tony Correa, apresentado no Teatro SESC-GINÁSTICO com a ilustre presença do Sr. Cônsul Geral de Portugal no Rio de Janeiro, embaixador Antonio de Almeida Lima e familiares e de grande platéia. Os espetáculo nos envolveu de tal maneira que nos sentimos a bordo das caravelas comandadas por Pedro Álvares Cabral, vivendo todos os seus percalços rumo às Índias. Parabéns ao autor e ator Tony Correia pela feliz iniciativa.

Após o espetáculo no Ginástico, comparecemos a outro já tradicional evento que foi a Sessão Solene na Casa das Beiras em homenagem ao Descobrimento. A sessão, presidida pelo Sr. Cônsul Geral de Portugal no Rio de Janeiro, teve como orador o Dr. Paulo Pinheiro que, num brilhante discurso, falou sobre a importante data na história de Brasil e Portugal. Ficamos encantados com a apresentação do Rancho Folclórico Português do Rio de Janeiro, que deu grande alegria à cerimônia. Destaco o comentário de um amigo presente ao evento que externou com entusiasmo: “Como o povo português é alegre!..” Em razão desse comentário, relembro o que a história contou a respeito de um trecho das anotações feitas por Pero Vaz de Caminha que dizia: “os primeiros contatos dos soldados portugueses com os indígenas americanos deu-se no desembarque do primeiro português no Brasil: um jovem que levava como única arma uma gaita de foles, instrumento musical usado pelos pastores portugueses. Ao som da música, os nativos organizaram, sob a copa da floresta, uma dança festiva e o português dançou de mãos dadas com o chefe da tribo que habitava a região. A esse texto, se chamou mais tarde, e com verdade “A CERTIDÃO DE NASCIMENTO DO BRASIL”.